Deep Web é o nome que se dá à camada de internet que não pode ser acessada por meios comuns de busca como os navegadores padrões que conhecemos e seu buscadores. Ela uma parte “oculta” da internet que conhecemos. Tão oculta, que exige métodos específicos para ser acessada, e pode proporcionar certo grau de anonimato para seus usuários.

Estudos apontam que a deep web seja cerca de 500x maior que a internet que conhecemos (chamada de Surface web, pois compreende apenas a superfície da internet como um todo) e que a porção de internet que usamos todos os dias seja de cerca de 4%, o resto pertence a parte “oculta” da internet.

Na deep web nada é indexado, ou seja, você não consegue acessar através de mecanismos de busca, como o Google, ou com navegadores padrões, como o Chrome, Firefox ou o Edge. Devido a isso, o uso da Deep Web é bastante variado e é aqui que reside a polêmica. Por causa da privacidade, muitas pessoas e instituições usam essa rede para compartilhar e hospedar arquivos sigilosos com maior segurança. O exército, as forças policiais, empresas, jornalistas e até mesmo cidadãos comuns podem usar para fins específicos. No entanto, o anonimato também permite a proliferação de uma série de atrocidades, coisas bizarras e ilegais.

Em resumo, a Deep Web é uma ferramenta interessante e pode ser usada tanto para coisas boas, como para coisas ruins. Se formos parar para pensar, não está tão diferente da internet que usamos hoje em dia, não é?